sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Clínicas populares são fechadas no RJ


Duas clínicas populares para dependentes químicos são fechadas no Rio


R7
Pessoas que estavam em tratamento tiveram que receber alta
O tratamento contra a dependência química em clínicas particulares é caro e tão difícil quanto se livrar das drogas é conseguir uma vaga de internação na rede pública. Para piorar, das três clínicas populares que existiam em todo o Estado do Rio de Janeiro, duas foram fechadas, uma delas em Santa Cruz, na zona oeste da cidade do Rio.
Segundo informações, o convênio que mantinha o funcionamento da unidade não foi renovado pelo Governo do Estado e os dependentes químicos que estavam em tratamento tiveram que receber alta antecipadamente.
De acordo com o presidente da Associação dos Dependentes Químicos, Marcelo Rocha, não há mais alternativas para internar as pessoas.
- Com esta clínica fechada não há mais alternativa para internar o usuário de drogas que é recolhido das ruas. Na cidade do Rio e no Estado, nós sabemos que somente em Valença, talvez, alguém consiga vaga, porque em Barra Mansa ou outros lugares não se recebe mais dependentes químicos para tratamento.
Em nota, a Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos explicou que um novo convênio será assinado na próxima quinta-feira (17) e a clínica voltará a funcionar.
Por que será que o governo não renovou o contrato com as Clínicas? Cadê os leitos reservados a psiquiatria nos hospitais públicos? 
Internação em Cliníca não é a única solução existente para o dependente químico, ela causa somente a abstinência da droga, não necessariamente façam o tratamento, pois maioria das Clínicas não possuem equipe técnica multiprofissional para o acompanhamento dos pacientes, portanto amenizam o problema enquanto o dependente está internado, mas quando ele sai não tem estrutura psicológica para permanecer longe da sua droga de preferência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário